10 de jan de 2009

Desventura




Foto:Joaquim D'Almeida

(Cecilia Meireles)
"Tu és como o rosto das rosas:
diferente em cada pétala.

Onde estava o teu perfume? Ninguém soube.
Teu lábio sorriu para todos os ventos
e o mundo inteiro ficou feliz.

Eu, só eu, encontrei a gota de orvalho que te alimentava,
como um segredo que cai do sonho.
Depois, abri as mãos, — e perdeu-se.

Agora, creio que vou morrer."

4 comentários:

O Sibarita disse...

Dona moça, é mais uma excelente poesia da cecilia, um amor escapando por entre dedos...

bjs
O Sibarita

Uma aprendiz disse...

Oi, Pati

que delicia de poema.

Adorei!

beijos, minha amiga

Joshuatree disse...

Adorei ler a discrição do teu blog, como tua alma. O meu, é meu divã, tem horas que é preciso "estar" Terapeuta, analista ...
Quanto à sua alma/blog, ela é linda!

~PakKaramu~ disse...

Visiting you flores e poesias