27 de abr de 2008

uma foto linda


Fotógrafo:Guido Caldeira


Pensamento:"O amor é a única coisa que cresce à medida que se reparte"
(Sait Exupéry)

Vou ficar uns dias ausente e gostaria de ir sem o aperto no peito,sem a tristeza no coração,mas quem diz que as coisas são como queremos?
Um dia não vou mais me importar....o futuro é incerto. O tempo voa e se esvai.



Este merece ser resgatado do fundo do meu baú.

AGONIA

O som do vento e a chuva prateada
trazem lembranças adormecidas,
lacradas,
afogadas num mar de agonia.
Me abandonaste.
Como prosseguir
num caminho que não conheço...
sem tua presença,sem teu calor...
Meu mundo era tu.
Teu carinho e teu conforto se foram,
pertencem ao tempo irreal das memórias,
sepultadas à força,na aflição do desespero.
Um dia...
em que o vento e a chuva continuarão
a carregar sonhos e sons do mundo...
a agonia vai escorrer
pelos caminhos do tempo,
transformar-se no pó do esquecimento,
lavando as tristezas deste amor arrancado
do seu delírio fascinado.
A escuridão da dor vai se consumir,
confinada por outras memórias
no recanto mais escuro da alma.
O calor da tua presença
vai se diluir
na ausência do amor que o gerou.
Amor que era sonho abstrato,
ilusão fugaz,
tal qual reflexo de nós dois juntos,
sombras do passado.
Pati K








26 de abr de 2008

uma foto linda







Fotógrafo: Rudi Trindade
*****
Um lugar lindo de sonhar...
Mudei o fundo,cansei de escuridão...rsss

O caminho do Amor é bonito ,é poético ,é árduo.
Amor são sonhos entrelaçados,são beijos trocados,
são olhares q enlevam e...
são pedras no caminho,são sonhos desfeitos,são lágrimas no rosto.
Amor é dúvida e é certeza.
Amor é alegria e felicidade.
Amor não é conto de fadas.
Amor é Vida pura.
Amor é Renascimento.
Amor é Superação.

Amor é a culminância ,é o sentimento máximo de plenitude que podemos almejar,mesmo que eventualmente,um dia a sombra encubra a sua luz e ele desapareça aos poucos ,deixando um restinho de saudade e um lugar cativo no coração que habitou.
Mas sempre será Amor.
Feliz de quem pode dizer com alegria no coração que já amou um dia.
Pati K

Poema Do Amor

Henriqueta Lisboa – do livro: Prisioneira da Noite (1935 – 1939)

Penso: agora serei feliz
pois ao meu lado está o Amor.
Sob a terra escondo a raiz,
árvore a rebentar em flor.

Feliz como o campo de trigo
que após a chuva se aqueceu.

Enfim o Amor está comigo,
de coração unido ao meu!

Contudo, agonias estranhas,
estranhas amarguras trago-
ascaladamente nas entranhas,
como um lago de fundas águas.

Tua presença – arco triunfal -
cobre-me a vida de esplendor.
E eu sei que não há dor nem mal
que atinja a presença do Amor.

Porém se teus olhos profundos
seguem como barcos à vela
o roteiro de novos mundos,
que distância se me revela!

Se despiedoso ou distraído
quebra de nossos dedos o elo,
- pássaro que tomba ferido,
nas minhas mãos morre este anelo.

Se teu carinho promissor
pela manhã se me anuncia,
pressentindo de sol-pôr
enubla o cristal de alegria.

Teu silêncio é trama de espinhos
em que se laceram meus véus.
Tua voz – espuma de vinhos
que te embriagaram noutros céus.

Nesta paixão que nos separa
quanto mais no que une a aparência,
sofro – minha volúpia rara!
-toda a nostalgia da ausência.

Amor – espada de dois gumes,
cada qual mais frio e mais forte:
se a vida está no que resumes,
és o caminho para a morte.

24 de abr de 2008

outra foto linda



Fotógrafo-Igor L

uma foto linda









Fotógrafo:Hori Ma

23 de abr de 2008

Velha Canção

(Menotti Del Picchia)

Não penses que não te espero
na aparente indiferença.
Esta fingida descrença
só disfarça desespero.

Se a falsa máscara fria
pudesse quebrar esta ânsia
saberias que a constância
é meu pão de cada dia.

Um pudor duro e severo
esperar desesperado
é o que nutre este pecado
de querer como te quero.

Destarte - tímido louco -
não ouso sondar tua alma
e nesta insofrida calma
dia a dia morro um pouco.

De Amor


Augusto Frederico Schmidt
(1906-1965)

Chegaria tímido e olharia tua casa,
A tua casa iluminada.
Teria vindo por caminhos longos
Atravessando noites e mais noites.

Olharia de longe o teu jardim.
Um ar fresco de quietação e repouso
Acalmaria a minha febre
E amansaria o meu coração aflito.

Ninguém saberia do meu amor:
Seria manso como as lágrimas,
Como as lágrimas de despedida.
Meu amor seria leve como as sombras.

Tanto receio de te amar, tanto receio...
A sombra do meu amor
Poderia agitar teu sono, pertubar o teu sossego...
Eu nem quero te amar, porque te amo demais.


******************************************
Pequena biografia de Augusto Schmidt:

Augusto Frederico Schmidt (Rio de Janeiro, 18 de abril de 1906Rio de Janeiro, 8 de fevereiro de 1965) foi poeta da segunda geração do Modernismo; falou de morte, ausência, perda e amor em seus poemas. Espírito criativo e polivalente, foi também empreendedor, tendo sido um dos fundadores da cadeia de supermercados DISCO, no Rio de Janeiro, e tornou-se amigo do presidente (1956-1960) Juscelino Kubitschek, tendo criado o slogan de sua campanha, "50 anos em 5". Escreveu inúmeros discursos para o presidente e várias de suas idéias vieram a ser realizadas, como a criação da Operação Pan-Americana (OPA), uma iniciativa que iria inspirar a Aliança para o Progresso, criada pelos Estados Unidos na administração Kennedy. Foi delegado do Brasil na ONU e Embaixador na Comunidade Econômica Européia.
Como editor, ele publicou livros importantes como "Casa grande e senzala", de
Gilberto Freire, e "Caetés", de Graciliano Ramos. Entre seus principais livros estão "O galo branco", "Estrela solitária" e "Prelúdio à revolução". Era casado com Yedda Ovalle Schmidt.

22 de abr de 2008

Tem muita gente me perguntando sobre os sites onde eu acho as fotos que coloco aqui.
Como não sou adepta de coisas fáceis,vou dizer para quem se interessa dar uma busca em sites de fotos europeus e americanos.Tem muita coisa linda.
Beijos de boa sorte...faço votos q todos achem coisas fantásticas como eu.

Para viver






(José Emir)

Para viver eu preciso
de um cantinho,
um bom vinho,
de um bom prato,
de um sorriso,
um carinho,
de um abraço,um afeto,
ter meus filhos por perto.

Para viver eu preciso
do contato,do impacto,
do riso,do pranto,
da ilusão,sonho,encanto,
ida,volta ,reencontro.
Para viver
eu preciso que você...
Se dissolva por um tempo
dê um tempo e me solte,
vá embora,mas não
se revolte
porque para viver
eu preciso,
é fundamental
que você volte.

21 de abr de 2008

Uma foto linda






Fotógrafo:Yan Stav




Aviso aos meus amigos:estive fora uns dias...talvez fique outros...
assim é a vida,nada é permanente e ao mesmo tempo, o é,
vida imutável de constantes mudanças.

Eu gosto das coisas imprevisíveis ,justo porque sou uma pessoa
que precisa de ordem no caos,que gosta de se sentir no controle das situações ,
embora isto pareça contraditório.
Desta maneira, o imprevisto é algo como a MÃO de DEUS no meu universo...é o SONHO
...é o TOQUE DO ANJO...é a POESIA DA VIDA agindo nas entrelinhas dos
pensamentos planejados,surgindo nos cantos e esquinas da minha vida,
furando,burlando a vigilância feroz que uma parte de mim (a controladora,autoritária)exerce sobre a outra(ariana livre e desgarrada).Sou uma eterna luta entre duas Patis opostas,duas metades que se debatem buscando coerência e ao mesmo tempo duas metades que se completam,formando a mulher que luta para manter o fio da meada íntegro e chegar a algum lugar...
Pati K

16 de abr de 2008

outra foto linda


Eu ía encerrar as postagens,mas me encantei com esta foto.



Fotógrafo:Elwira Emelchenkova
...que Deus nos dê compaixão e humanidade para olhar o mundo
com olhos de bondade e olhos de sonho... assim podemos torná-lo
um lugar mais habitável,com melhor qualidade de vida
e cheio de calor humano.Este é o nosso propósito aqui,sermos
GENTE,ser humano que faz diferença e não é apenas um a mais
na multidão inerte,sem consciência e egoísta.

Pati K

uma foto linda


Fotógrafo:Sergey Militsky

A Dor a Mais

Foto:Samuel Sevada
(Vinicius de Morais/Francis Hime)

Foi só muito amor,
Muito amor demais.
Foi tanta paixão
Que o meu coração, amor,
Nem soube mais.
Inventei a dor
E como ela nos doeu.

Ah, que solidão,
Buscar perdão no corpo teu.
Tanto tempo faz,
Tens um novo amor eu sei,
Mas nunca terás
A dor a mais como eu te dei.
Porque a dor a mais,
Só na paixão
Como eu te amei.
*********************************
Ah,Vinícius prá falar de amor...

15 de abr de 2008

uma foto linda

Fotógrafo:Igor L

Timidez



(Cecilia Meireles)

Basta-me um pequeno gesto,
feito de longe e de leve,
para que venhas comigo
e eu para sempre te leve ...

-mas só esse eu não farei.

Uma palavra caída
das montanhas dos instantes
desmancha todos os mares
e une as terras mais distantes...

- palavra que não direi.

Para que tu me adivinhes,
entre os ventos taciturnos,
apago meus pensamentos,
ponho vestidos noturnos,

-que amargamente inventei.

E, enquanto não me descobres,
os mundos vão navegando,
nos ares certos do tempo,
até não se sabe quando...

- e um dia me acabarei.

14 de abr de 2008

outra foto linda




Fotógrafo:Sergev Militsky

uma foto linda



Fotógrafa:Maria José Amorim

Retrato em Luar

(Cecilia Meirelles)


Meus olhos ficam neste parque,
minhas mãos no musgo dos muros,
para o que um dia vier buscar-me,
entre pensamentos futuros.

Não quero pronunciar teu nome,
que a voz é o apelido do vento,
e os graus da esfera me consomem
toda, no mais simples momento.

São mais duráveis a hera, as malvas,
que a minha face deste instante.
Mas posso deixá-la em palavras,
gravada num tempo constante.

Nunca tive os olhos tão claros
e o sorriso em tanta loucura.
Sinto-me toda igual às àrvores;
solitária, perfeita e pura.

Aqui estão meus olhos nas flores,
meus braços ao longo dos ramos:
e, no vago rumor das fontes,
uma voz de amor que sonhamos.

11 de abr de 2008

Poema do meu amigo Beto



Beto: "Com certeza, vc já percebeu que
apesar de meu jeito extrovertido de ser,
no fundo o que prevalece é minha perceptível sensibilidade.
Sensibilidade esta que me levou a viver um amor de verdade.
Amor este que me leva a praticidade,
pra viver este amor com dignidade.
Meu momento de praticidade,
pra viver este amor de verdade
com dignidade,
me deixa em falta com uma amiga de verdade.
Amiga de verdade que sinto saudade
é vc com toda sua verdade,
dignidade, sem maldade, só de verdade.
Minha praticidade e libidinosa verdade,
com maldade ou sem maldade
é ter vc como amiga de verdade ,
que desejo toda felicidade. "


Adorei os versos e saber q foram feitos prá mim torna tudo mais especial ainda.
Bjuss de coração prá vc,meu amigo.


9 de abr de 2008

uma foto linda

Fotógrafo:PetrosL

Comentário

Palavras inspiradas de José Rodrigues,pessoa iluminada na sua sabedoria,em comentário que postou ali embaixo e que reproduzo aqui:

...."Fico muito feliz por ver uma poesia que experimentei em seu espaço.
Quanto ao amor, poderiamos ficar horas e horas a discutir inumeras questões sobre o mesmo, mas as pessoas, não todas, em nossa sociedade estão cada dia menos dispostas a pensar, a refletir e, sobretudo, a pensar o que estão fazendo com as suas vidas.
O que nós vamos fazer com nós mesmos? como podemos nos tornar atores principais de nossas próprias historias de vida?
como podemos criar linhas de fuga e potencializar na vida a sua capacidade de criação e invensão do novo e do diferente? questões...
A discussão sobre o amor entra nesse cenário onde vivemos na medida em que amar se tornou algo estranho, ou melhor, as relações, os laços socais que antes uniam as pessoas agora parecem afasta-las; é um individualismo flagrante, uma solidão que não encontra meios de exprimir-se a não ser atraves de depressões e atos compulsivos. Não acho que o amor esteja em extinsão, mas antes, que o verbo amar vem sendo conjugado de outras maneiras; pois, o que está em jogo quando falamos em amor é, sobretudo, a nossa capacidade de amar e deixar-nos ser amados.

Será que aprendemos a amar de outra forma ou nos esquecemos que o amor , assim como as flores e as poesias, deve ser cultivado? Por representar o amor uma gama de sentimentos intensos e ao mesmo tempo contraditórios, ele possui uma certa caracteristica revolucionaria, consternadora, provocadora.
O amor é um sentimento que desestabiliza ao mesmo tempo em que constroi, que deflagra tantos outros sentimentos e que dar-nos força para ir além... se assim for, ele representa tudo, ou quase tudo, que a lógica de nossa soceidade vem excluindo atraves de seus mecanismos de poder. Um sentimento que nos provoca, nos revoluciona, nos transforma em seres diferentes, fugindo/escapando nas normas instituidas, não pode mesmo ser cultivado por nossa sociedade. Cria-se então a representação de um amor esteril, neutro, frio, superficial no qual as pessoas se entrelaçam, mas logo ele se esvai, porque ele não foi feito para durar, mas para trazer uma falsa sensação de alegria e completude. O amor das intensidades e da criação fica guardado entre as linhas de livros, entre os versos de poetas, esperando que alguem o leia e se lembre do que o mesmo foi um dia.
Um abraço.
"

******************************************************

Lindas palavras e concordo plenamente com vc.

As pessoas não sabem mais amar,não se permitem AMAR com plenitude... e quando porventura o amor existe, é descartado como uma coisa sem valor. Na cultura de hoje o amor pouco importa.A regra é:Não se envolva ou se isso acontecer,caia fora quando o primeiro contratempo acontecer.

Não precisamos ir muito longe...por que há tantas pessoas na internet(chats)procurando algo que nunca encontram?

Em primeiro lugar,a grande maioria,eu diria,não se conhece,não sabe o que quer.Se sabe, não acha.E aí se desespera.E se atira numa busca mais desenfreada ainda. Tem muita gente se machucando aqui porque as pessoas confundem a vida real e virtual,misturam as estações, se atiram com ânsia desesperada na busca de algo que lhes faz falta,mas não sabem como lidar com isto,com as relações interpessoais virtuais. Na verdade,ela se torna uma vida paralela,com as mesmas angústias e necessidades da vida real,porque o ser humano não consegue ser frio o suficiente para separar os dois mundos.

Segundo,aqui ou fora,(na vida real) o amor é desvalorizado,é usado como mercadoria de troca,é usado de acordo com o egoísmo e a necessidade de cada um,não é encarado como um sentimento pleno,puro que complementa e alimenta ,além do corpo,a própria alma e a do outro. Hoje está confundido com a paixão,gostosa,mais prazeirosa,mas de duração rápida, porém descartável e menos dispendiosa em termos de comprometimento.O amor custa tempo, investimento,exige entrega plena,sem pensar nos custos emocionais,exige doação,exige o gostar puro e verdadeiro,coisa que muito poucas pessoas estão dispostas a fazer.

AMOR depende sim da capacidade de comprometimento de cada um,depende da vontade de SE deixar ser amado,como vc mencionou,senão não existe,senão não é AMOR. O resto é conversa fiada.

7 de abr de 2008

Canção para um desencontro






(Lya Luft)

“O amado é um estranho reino onde entro como invasora,e alguma vez,
errando o passo,sem querer provoco um tumulto,desarrumo tudo,
deixo sinais de tempestade e inquietação.”


Deixa-me errar alguma vez,
porque também sou isso:incerta e dura,
ansiosa de não te perder
e frágil.
Deixa-me errar,e me compreende
porque se te faço mal é por querer-te,
desta maneira tola,cada dia
perdida feito criança nos teus territórios
e nessa escadaria da tua alma.

Deixa-me errar, e não me soltes,
para que eu não me enrede
nos sustos desse amor,
onde ainda espreitam o segredo,
a esperança
e um gosto inesperado de magia.

(Lya Luft)


****************************

Esta é prá ti,longe que estás ,no mundo das ilusões...prá ti que não existe senão no meu pensamento,e esta sou eu,a que erra,a que ama,a que te busca e não te acha,porque tu és sonho e nada mais.

Separação

(Vinicius de Morais)

Voltou-se e mirou-a como se fosse pela última vez, como quem repete um gesto imemorialmente irremediável. No íntimo, preferia não tê-lo feito; mas ao chegar à porta sentiu que nada poderia evitar a reincidência daquela cena tantas vezes contada na história do amor, que é história do mundo. Ela o olhava com um olhar intenso onde existia uma incompreensão e um anelo, como a pedir-lhe, ao mesmo tempo, que não fosse e que não deixasse de ir, por isso que era tudo impossível entre eles.
Viu-a assim por um lapso, em sua beleza morena, real mas já se distanciando na penumbra ambiente que era para ele como a luz da memória. Quis emprestar tom natural ao olhar que lhe dava, mas em vão, pois sentia todo o seu ser evaporar-se em direção a ela. Mais tarde lembrar-se-ia não recordar nenhuma cor naquele instante de separação, apesar da lâmpada rosa que sabia estar acesa. Lembrar-se-ia haver-se dito que a ausência de cores é completa em todos os instantes de separação.Seus olhares fulguraram por um instante um contra o outro, depois se acariciaram ternamente e, finalmente, se disseram que não havia nada a fazer. Disse-lhe adeus com doçura, virou-se e cerrou, de golpe, a porta sobre si mesmo numa tentativa de seccionar aqueles dois mundos que eram ele e ela.
Mas o brusco movimento de fechar prendera-lhe entre as folhas de madeira o espesso tecido da vida, e ele ficou retido, sem se poder mover do lugar, sentindo o pranto formar-se muito longe em seu íntimo e subir em busca de espaço, como um rio que nasce.Fechou os olhos, tentando adiantar-se à agonia do momento, mas o fato de sabê-la ali ao lado, e dele separada por imperativos categóricos de suas vidas, não lhe dava forças para desprender-se dela.Sabia que era aquela a sua amada, por quem esperara desde sempre e que por muitos anos buscara em cada mulher, na mais terrível e dolorosa busca. Sabia, também, que o primeiro passo que desse colocaria em movimento sua máquina de viver e ele teria, mesmo como um autômato, de sair, andar, fazer coisas, distanciar-se dela cada vez mais, cada vez mais.
E no entanto ali estava, a poucos passos, sua forma feminina que não era nenhuma outra forma feminina, mas a dela, a mulher amada, aquela que ele abençoara com os seus beijos e agasalhara nos instantes do amor de seus corpos. Tentou imaginá-la em sua dolorosa mudez, já envolta em seu espaço próprio, perdida em suas cogitações próprias - um ser desligado dele pelo limite existente entre todas as coisas criadas.

De súbito, sentindo que ia explodir em lágrimas, correu para a rua e pôs-se a andar sem saber para onde...

uma foto linda

Fotógrafo-Antônio Manuel da Silva



6 de abr de 2008

Versos molhados em um papel seco



(José Rodrigues)


Os pingos da chuva caem,passam,

E me levam junto com eles

No chão nos encontramos em pedaços

Mas tão perto um do outro.


Vejo a chuva a cair

Pela janela aberta do meu quarto

E escrevo algum poema,pois assim acho

É uma forma de ir junto com os pingos dágua,

mesmo q isto signifique fazer versos molhados

E depois colocá-los num papel seco.
***********************************
Esta e outras poesias tive o prazer de ler no blog do José Rodrigues,
um poeta jovem e de muito talento,que veio me visitar e me surpreendeu
com um texto interessante sobre o amor.
Deixo o endereço do blog para quem se interessar: http://experimentandoversos.blogspot.com

uma foto linda...


4 de abr de 2008

Canção em Outras Palavras
















Outra poesia linda da Lya Luft,uma das minhas preferidas:

O melhor cuidado com o amor
é deixar que floresça,pois amor não se cultiva:é flor
selvagem
,bela por ser livre.
Como as estações do ano,ele se abre,
dorme e volta a perfumar a vida.
Amor é dom que se recebe
com ternura,para que não pereça
sua delicadeza em nossa angústia.

O amor não deve encerrar a coisa possuída,
mas ser parapeito de janela,ou cais
de onde se desprendem os revôos
e partam os navios da beleza
para voltar ou não,conforme amarmos:
nem de menos,
nem demais.

"Então, sem que a gente percebesse(talvez os outros tenham notado)
algo mudou.O amor é flor selvagem,que precisa de ar e liberdade
para desabrochar.Mas a palavra liberdade é como a soleira de uma porta
diante da qual paramos: ninguém a transpõe impunemente.
Se amas alguém,deixa-o livre,me disseram,
depositando nos meus ombros todo o peso do mundo."
Lya Luft/Secreta mirada e outros poemas.

Será que conseguimos ter sabedoria para amar deste jeito?
Humildade,desprendimento,generosidade,capacidade de doação,
AMOR no sentido amplo e profundo,só quem ama de verdade
é capaz disto.Então acho que
nunca amei.

Canção da Estrela Murmurante




Esta poesia vale a pena ser repetida...


(Lya Luft)


Nós nos amaremos docemente,

nesta luz,neste encanto,neste medo:

nós nos amaremos livremente

no dia marcado pelos deuses.



Nós nos amaremos com verdade

porque estas almas já se conheciam:

nós nos amaremos para sempre

além da concreta felicidade.



Nós nos amaremos lindamente,

nós nos amaremos como poucos,

nós nos amaremos

no seu tempo.

" A delicadeza é um dos componentes do afeto verdadeiro:saber esperar o lugar, a hora, a limitação do outro.Observar enquanto se constrói a ponte entre ele e a sua própria possibilidade de chegar."


Comentário de Lya complementando o poema acima,em seu livro Secreta Mirada e outros poemas.


Um pequeno adendo sobre a foto acima:é uma foto artística,apesar de um casal nu,numa pose q pode ser considerada apelativa,mas para mim foi como se casasse com a poesia,um encontro de almas,enfim livres...do tempo,de pudor,de malícia...só amor.

3 de abr de 2008

Eu te amo porque te amo


(Carlos Drummond de Andrade)


Eu te amo porque te amo.

Não precisas ser amante,

e nem sempre sabes sê-lo.

Eu te amo porque te amo.

Amor é estado de graça

e com amor não se paga.


Amor é dado de graça,

é semeado no vento,

na cachoeira, no elipse.

Amor foge a dicionários

e a regulamentos vários.


Eu te amo porque não amo

bastante ou demais a mim.

Porque amor não se troca,

não se conjuga nem se ama.

Porque amor é amor a nada,

feliz e forte em si mesmo.


Amor é primo da morte,

e da morte vencedor,

por mais que o matem

(e matam)a cada instante de amor.

1 de abr de 2008

Palavras de Amor

(Joan Manuel Serrat)
Ela que eu amei tanto...
já nao a tenho agora.
Ficou no meu passado
como um livro fechado.
Ela, como hei de dizer,
era todo o meu mundo então,
quando no ar soavam
tantas palavras de amor.
Palavras de amor sentidas e tenras
não sabiamos mais, tinhamos quinze anos.
Não havia tempo até para aprender
porque despertávamos dos sonhos de infância.
Não havia mais que três frases feitas
que ambos aprendemos de antigos atores.
Histórias de amores, sonhos de poeta,
não sabiamos mais, tinhamos quinze anos.
Ela, quem sabe talvez,
ela quem sabe onde pára.
Será que eu outra vez
voltarei a encontrá-la?
Porém julgo ouvir a sua voz
De longe me trás uma canção.
Velhas notas, velhos sons,
velhas palavras de amor.
Letras...palavras...saber com o tempo,sabedoria da vida...
Ler é saber,ler é viver...
Pati K
Dicas...humm...de comidas magras e saborosas:por Lucillia Diniz
  • Substitua a massa de pizza por beringela cortada em fatias e pincelada com clara de ovo
  • Tempere a carne magra com sopa de cebola light de pacote,antes de grelhar.
  • Engrosse a sopa de legumes,ponha frango e champignon e crie um estrogonofe light
  • Misture essência( de côco,por exemplo) ao já pouco calórico doce de abóbora com adoçante.
  • Abobrinha,pimentão e cenoura cortados fininhos e assados em forno bem baixo por horas,até ficarem crocantes,são um tira-gosto apetitoso

A poesia de Machado de Assis/Divulgação


Livro-TODA POESIA DE MACHADO DE ASSIS de Cláudio Moreno Leal

Editora Record/756 pag



No ano do centenério da morte de Machado de Assis(29 de setembro de 1908) é lançado um livro que reúne pela primeira vez,em um só volume a totalidade da produção poética do escritor carioca.São cerca de 180 poemas,muitos deles recolhidos de jornais,revistas,por estudiosos como J.Galante de Souza e Raimundo Magalhães Jr.


...A sua carreira literária foi marcada por uma constante dedicação à poesia,desde a estréia,em 1854,ao último famoso soneto,"A Carolina" publicado em 1906,dedicado à sua mulher.

A publicação de Toda poesia de Machado de Assis,além de resgatar significativamente os poemas,coloca ao alcance dos machadianos material para uma visão global da evolução do pensamento e da técnica do poeta.

Fundador e primeiro presidente da ABL,enttre 1897 e 1908,Machado de Assis era filho de uma portuguesa e de um operário mestiço.De saúde frágil,era epilético e,embora um ás das palavras,gago.Cedo perdeu os pais e a irmã caçula.Foi criado pela madrasta.Mesmo assim , o menino Joaquim Maria Machado de Assis,galgou degrau a degrau,o caminho das letras,tornando-se um dos maiores escritores da lingua portuguesa,com admiradores por todo o mundo.


Texto publicado no jornal O Sul-31/03/2008.
"Cada qual sabe amar a seu modo; o modo pouco importa; o essencial é que saiba amar." Machado de Assis