23 de dez de 2009



(Sophia de Mello Breyner Andresen)
*

“Depois da cinza morta destes dias,
Quando o vazio branco destas noites
Se gastar, quando a névoa deste instante
Sem forma, sem imagem, sem caminhos,
Se dissolver, cumprindo o seu tormento,
A terra emergirá pura do mar
De lágrimas sem fim onde me invento.”





O gosto do vazio, do incompleto, da falta ,ecoa na ânsia do sonho que se vai...

Quando a realidade crua interrompe a cascata de justificativas que usamos prá dizer ao coração que estamos certos, o sentimento que fica é o de fracasso.

Pati K



"Saudade é nossa alma dizendo para onde ela quer voltar."
(Rubem Alves)

19 de dez de 2009

Exorcismo




(Fernando Pinto do Amaral)


"Levanta-te, não chores.
Tens de saber que às vezes é difícil
matar o que nos mata,
ir aguçando o gume do cutelo
e movê-lo depois, logo em relâmpago,
até que o monstro seja degolado
e não fique sequer uma gota de sangue,
da cicuta voraz que lhe corria
pelas veias tão geladas, sob a pele
que terias beijado quase a medo
em busca de um sabor que fosse o fogo
e o ar e a água,
mas era só veneno adocicado,
daquele que vicia sem parecer viciar
e nos deixa sem cura a vida inteira.

Levanta-te, bem sabes,
desde o tempo dos contos infantis,
que todo o mal procura disfarçar-se
em rostos como aquele,
na perfeição volátil desse abismo
a que chamam beleza e vai ardendo
em lânguidos sorrisos e olhares
feitos de pura seda, seduzindo
espíritos como o teu,
demasiado inocentes ou perversos
para desconfiar da eternidade
ou para resistir à luz fosforescente
que, obedecendo às leis da natureza,
sempre soube atrair até à morte
o alucinado voo das borboletas.

Levanta-te, vá lá, não tenhas medo
de apertar o gatilho as vezes necessárias
para que tudo morra - os estertores
da tua alma ou do teu corpo
mesmo assim doem menos, acredita,
que o travo torvo dos piores remorsos.
E se vires que é preciso
rasgar dentro de ti, antes de serem escritos,
os mil e um poemas
que haverias de ler, talvez sem esforço,
à flor daquela face, não hesites,
porque a felicidade tem um preço
e os versos, quaisquer versos, são apenas
a memória infiel deste vento que move
as árvores lá fora enquanto é noite,
mas que às primeiras horas da manhã
deixará elevar-se um nevoeiro
tão espesso e esbranquiçado, que o amor
será nesse momento uma palavra baça
que nada te dirá, a ti ou a ninguém."


(Marguerite Yourcenar ) * O Tempo esse grande escultor*



"Não julgues. A vida é um mistério, cada um obedece a leis diferentes.

Conheces porventura a força das coisas que os conduziram, os sofrimentos e os desejos que cavaram o seu caminho? Surpreendestes porventura a voz da sua consciência a revelar-lhes em voz baixa o segredo do seu destino?

Não julgues: olha o lago puro e a água tranquila onde vêm quebrar-se as mil vagas que varrem o universo… É preciso que aconteça tudo aquilo que vês. Todas as ondas do oceano são precisas para levar ao porto o navio da verdade.
Acredita na eficácia da morte do que queres para participares do triunfo do que deve ser."

16 de set de 2009


(Torquato da Luz)



"Não penses que tudo é simples e claro
como imaginas e por vezes dizes.
Certos dias são noites e não raro
há rostos que aparentam ser felizes
mas escondem um fundo sofrimento
que não suspeitas nem por um momento.

A vida é como é e não adianta
fingir que é outra coisa mais amena.
Mas, por detrás da máscara, a gangrena
da dor que não se vê chega a ser tanta
que o mais fácil decerto é ignorar
o outro lado e assim continuar."


29 de ago de 2009

Contemplação

(Torquato da Luz)


"Deixa-me contemplar-te. Apenas quero
guardar com nitidez a tua imagem
para poder depois seguir viagem
sem temer a angústia e o desespero.
Quero fixar os traços do teu rosto
no mais íntimo canto da memória
para os poder lembrar quando o desgosto
da tua ausência for a minha história.
Quero reter nos olhos as marés
de que se faz a luz do teu olhar
para poder prender-te como és
para sempre no fundo do meu mar."




22 de ago de 2009

duas fotos lindas



Frio de julho deste ano no RS /Geada

11 de jul de 2009

Canção da Palavra Secreta

(Lya Luft)

"Que mão se enfia entre minhas raízes,
que paixão me esventra o coração?
Abro caminho na liberdade de uma folha,
e escrevo lentamente a palavra secreta.

E ela,
preguiçosamente,abre-me os braços
esquiva donzela ou feio palhaço.
Uma palavra apenas,no mistério maior
de uma página intacta,ou no emaranhado dos traços:
enquanto invento outros,que resumem
a verdade da vida na mentira que assino."

10 de jul de 2009

(Pablo Neruda)

"Amiga,não morras.
Ouve estas palavras que me saem ardendo,
e que ninguém diria se eu não te dissera.
Amiga não morras.
Eu sou o que te espera na estrelada noite.
O que debaixo do sangrento sol poente te espera.
Olho os frutos cair na terra sombria.
Vejo as gotas de orvalho dançando na erva.
Na noite o espesso perfume das rosas
quando dança a ronda das sombras imensas.
Sob o céu do Sul,o que te espera quando
o ar da tarde como uma boca beija.
(...)
Eu sou o que te espera na estrelada noite,
sobre as praias áureas,sobre as douradas eras.
O que cortou jacintos para o teu leito, e rosas.
Estendido entre ervas,eu sou o que te espera!"

one day in your life

Umas das músicas mais lindas do Michael,me faz lembrar com nostalgia uma época feliz da minha vida.
Dedico a uma pessoa especial que fez parte da minha vida.

Como diz a letra,estarei no seu coração e você lembrará,algum dia...



Michael Jackson

One day in your life(Música de 1975)

One day in your life
you'll remember a place
Someone's touching your face
You'll come back and you'll look around you

One day in your life
You'll remember the love you found here
You'll remember me somehow
Though you don't need me now
I will stay in your heart
And when things fall apart
You'll remember one day...

One day in your life
When you find that you're always waiting
For the love we used to share
Just call my name
And I'll be there
(Oh-oh-oh-oh-oh...)

You'll remember me somehow
Though you don't need me now
I will stay in your heart
And when things fall apart
You'll remember one day...

One day in your life
When you find that you're always longing
for the love we used to share
Just call my name
And I'll be there
(Ohh...)

******

Um dia em sua vida você lembrará de um lugar...

de alguém tocando o seu rosto
você estará de volta e olhará ao seu redor...

Algum dia em sua vida,
você lembrará do amor que você encontrou aqui
e você lembrará de mim de algum modo
e mesmo que você não precise de mim agora,
eu estarei em seu coração
e quando as coisas se desfizerem
você se lembrará ...algum dia.

Algum dia em sua vida
quando você perceber que você esteve sempre esperando
pelo amor que nós tínhamos...
basta apenas chamar meu nome
que eu estarei aí.

Você se lembrará de mim de algum modo
mesmo que você não precise de mim agora
eu estarei em seu coração e
quando as coisas se desfizerem
você se lembrará algum dia.

Algum dia em sua vida quando você perceber
que você esteve sempre ansiando
pelo amor que nós tínhamos...
Apenas chame meu nome
que eu estarei aí.

23 de jun de 2009

“ Mas existe verdadeiramente outro rumo? Na verdade,só existe a direção que tomamos. O que poderia ter sido já não conta.”

(Mário Benedetti) em *Quem de Nós*

duas fotos lindas - lembranças


Parati-RJ
(Pablo Neruda)

“Trouxe o amor o seu caudal de dores,
seu longo raio estático de espinhos
e cerramos o olhar para que nada,
para que mágoa alguma nos separe.
Teus olhos não têm culpa deste pranto:
tuas mãos não cravaram esta espada:
não buscaram teus pés este caminho:
chegou a teu coração o mel sombrio.
Quando o amor como uma onda imensa
nos esmagou de encontro à pedra dura,
nos amassou como uma só farinha,
caiu a dor sobre outro doce rosto
e assim na luz dessa estação aberta
consagrou-se a ferida primavera.”


28 de mai de 2009

Aprendizado


(Ferreira Gullar)

"Do mesmo modo que te abriste à alegria
abre-te agora ao sofrimento
que é fruto dela
e seu avesso ardente.
Do mesmo modo
que da alegria foste
ao fundo
e te perdeste nela
e te achaste
nessa perda
deixa que a dor se exerça agora
sem mentiras
nem desculpas
e em tua carne vaporize
toda ilusão
que a vida só consome
o que a alimenta."

uma foto que gosto

Foto:Marco Coelho

Após a chuvarada...


26 de mai de 2009

Nunca mais


(Sophia de Melo Breyer Andresen)

"Nunca mais
caminharás nos caminhos naturais.
Nunca mais te poderás sentir
invulnerável, real e densa -
para sempre está perdido
o que mais do que tudo procuraste
a plenitude de cada presença.
E será sempre o mesmo sonho,a mesma ausência. "

***


Amargura


Não esqueço.
A ferida que causaste sangra impiedosa,escorre em rancor mal disfarçado me impedindo de chegar à luz do sol.
Pati K

Saudade


(Vicente de Carvalho)

"Belos amores perdidos,
Muito fiz eu com perder-vos;
Deixar-vos sim; esquecer-vos
Fora demais, não o fiz.

Tudo se arranca do seio,
- Amor, desejo, esperança...
Só não se arranca a lembrança
De quando se foi feliz."
"Em nada me pesa ou em mim dura o escrúpulo da hora presente. Tenho fome da extensão do tempo, e quero ser eu sem condições."

(Fernando Pessoa)
em o Livro do Desassossego

25 de mai de 2009

The Argenteuil Bridge and the Seine
Tela - Gustave Cailllebote /Pintor impressionista/1848-1894

Da solidão


(Cecilia Meireles)


“Estarei só.
Não por separada, não por evadida.
Pela natureza de ser só.

(...)

Solidão - dizia: fechava a tarde de mil portas,
andava por essas fortalezas da noite,
como escadas, essas plataformas, essas pedras...
E deitava-se sobre o mar, sobre as florestas,
deitava-me assim - aldeias? cidades?
O sono é um límpido deserto - deitava-me nos ares
onde quer que estivesse deitada.
Deitava-me nessas asas.
Ia para outras solidões.
Se me chamares, responderei, mas serei solidão.
Serei solidão, se me esqueceres ou lembrares.
Qualquer coisa que sintas por mim, eu te retribuirei:
como o eco.
Mas é tu que vens e voltas:
a tua solidão e a minha solidão.”

Quarto poema da cega


(Lya Luft)

"Dizem que há veleiros no mar, e posso ouvir
o seu rastro de vozes quando o vento é forte.
Abro as mãos em flor,e jogo dentro deles
cada esperança antiga que me oprime,
cada sonho inútil que me embala.
Sigo seu roteiro claro e tranqüilo,
levando vidas,risos e destinos,
deixando um bálsamo de fresca espuma
na chaga destas pálpebras inúteis
que me prendem,sem asas e sem horizonte,
a esta pedra de onde vai me libertar a morte.
"

22 de mai de 2009

duas fotos lindas-lembranças

Caminho para o mar -RS


Janela para o leste -RS

20 de mai de 2009

Mar demais

Foto: Steve Winter

(Lya Luft)

“O mar das nossas viagens
divide horizonte e cais,
e nos dois lados acena
a opção de ir ou ficar.
Quem navega, não pensa
em perda nem permanência:
só busca o caminho das ondas
e do ar.

O mar da esperança é fundo,
quem nele navega é rei:
pois se estrelas são miragem
entre cais e horizonte,cada viagem
chega mais perto da fonte:
isso não pode se medir nem
mudar.”

19 de mai de 2009

Tela -Mary Cassat


Deixo-te ir(quando te quero)

e espero

que o doce despertar da madrugada

leve embora

o gosto amargo da demora.


Pati K
maio/2009

uma foto linda




Fotógrafa: Eudora Porto

duas fotos que gosto-lembranças

Passagem azul - Diamantina/MG
Passando na passagem




18 de mai de 2009

Seda



O toque familiar
de seda do teu olhar
despertou demônios,
contidos à custo
na loucura do meu sonhar.
Te acompanhei
sem hesitar
sem temer
sem questionar
amando te beijar
sonhando acreditar
que tu eras meu enfim,
sem mais nada almejar.

Eu e tu,desejo ardente
nós dois apaixonados,
em rumo ignorado
ditado pelo delirio
do amor alucinado.

O fim,no meio ,
quem sabe...
amargo despertar,
ruínas a lamentar
e sonhos a sepultar.

Pati K


Esta tirei do baú-novembro / 2007

Jardim Perfumado


Quando te encontrei
em um dia quase esquecido
o sonho do amor contigo sonhei.
(Um jardim florido e perfumado ele me deu.)
“Lembra-te de que estou ao teu lado,
de que teu perfume está em mim,
de que te amo e que tu estás comigo”.
(independente da distância,sempre).
Liberta da dor,
calei e chorei.Murmurei teu nome,
com ânsia busquei teu calor,
o passado enterrei e
de novo, sonhei.


Pati K (julho de 2008)

17 de mai de 2009

uma foto que gosto-lembranças


Esplendor ao sol da primavera/Interior RS


(Daniel Sant'Iago)

"nega que
é certa a morte
nega que
a água mata
nega que
a fome vive
*
nega tudo
*
não negues jamais que te amo" .

Palavras...

***

(Eduardo Aleixo)

" Palavras gravadas na pedra e oferecidas ao vento do amor,palavras com cheiro de pele, de sangue, de suor, de dor, de riso e de esperança, embrulhadas como prendas e levadas no bico dos pássaros, palavras leves,beijos de água, que servem para lavar as mágoas, palavras aladas,luminosas, musicais, que se reportam ao percurso da alma..."
*

16 de mai de 2009

insônia





(...)a insônia inquieta revolve sem piedade pesadelos amargos na noite fria
não deixa esquecer as mágoas requentadas dos dias vividos
inertes e vazios de ti (onde o vazio não tem cura).
O silêncio pesado da noite úmida trás conforto
um conforto fugaz que dura o tempo da memória te buscar no labirinto do passado
enchendo o que resta da madrugada com ecos de lembranças tristes
que choram escorrendo em lágrimas de desengano .
..............
O teu silêncio e o meu grito de dor se estendem numa noite sem fim.

Pati K
(maio 2009)

4 de mai de 2009

uma foto linda

Foto:Fardaxto


(Maria do Rosário Pedreira)

"Sei a nuvem de cinza que turva o
oceano, a sombra que desfigura a
minha mão vazia. Sei as paisagens
que um dia se deitaram entre nós
para sempre adormecidas. Sinto


a dor estendida sobre a memória
do teu corpo na cama que ficou
aberta como uma ferida. E, sem
razão, repito a todo o instante nos
meus lábios cansados esse nome
que ainda me falta em quase tudo."

em *Nenhum Nome Depois*

uma foto que gosto-lembranças

O verde e o azul RS

3 de mai de 2009




(Maria do Rosário Pedreira)

"Escrevo o teu nome e um pássaro levanta-se da terra -
sobre o seu voo contariam os teus olhos mil histórias
que eu escutaria com o mesmo silêncio admirado
com que na boca cai um beijo ou a noite atira o amor
para cima das camas. Mas o lápis rola subitamente

sobre a mesa e pára a sepultar as palavras que nunca
te direi - porque o rio não regressa à cidade que primeiro
beijou, nem o navio ruma jamais ao porto que o viu largar."

em *O Canto do Vento nos Ciprestes*

“Conquistei, palmo a pequeno palmo, o terreno interior que nascera meu. Reclamei, espaço a pequeno espaço, o pântano em que me quedara nulo. Pari meu ser infinito, mas tirei-me a ferros de mim mesmo. “

(Fernando Pessoa) * O Livro do Desassossego*

30 de abr de 2009

uma foto linda

Foto: Amy Miller


(Sophia de Mello Breyer Andresen)



“Mar sonoro, mar sem fundo, mar sem fim.

A tua beleza aumenta quando estamos sós

E tão fundo intimamente a tua voz

Segue o mais secreto bailar do meu sonho.

Que momentos há em que eu suponho

Seres um milagre criado só para mim.”

23 de abr de 2009

uma foto - lembranças

Mais luz que sombra...

uma foto - lembranças

Luz e Sombra

uma foto que gosto- lembranças


calmaria...MG

Vazio




A dor de saber
a dor de querer
a dor de não ser
o objeto do amor teu.

Tu... foste.
Eu, que fiquei
a contar as horas
sem tua voz ( nem um murmúrio de adeus)
sem teu calor,
perdida no tempo,
te procurando no olhar
de antes
te enxergando no vazio
de agora.


Pati K

uma foto linda


Fotógrafa:Katerina Lomonosov

Expressão


(Graça Pires)

"Dentro da curva inesperada
dos meus braços
transbordam os gestos
numa espiral imperceptível.

Nas pontas dos meus dedos
se alonga a neblina
que deriva do inverso da loucura
quando prendo nos dentes
a superstição da lua
ou esboço no riso
a cumplicidade dos espelhos
timidamente transparentes
para dizer que só pelo silêncio
se vence o labirinto das palavras
e se mede a solidão."

22 de abr de 2009

Onde quer que o encontres

(Maria do Rosário Pedreira)
em *Nenhum Nome Depois*

"Onde quer que o encontres -
escrito, rasgado ou desenhado:
na areia, no papel, na casca de
uma árvore, na pele de um muro
no ar que atravessar de repente
a tua voz, na terra apodrecida
sobre o meu corpo - é teu,

para sempre, o meu nome.
"

14 de abr de 2009

uma foto linda

Fotógrafo: José Ferreira
(Joaquim Pessoa)

"...se ao menos tivesses quebrado o riso frio dos espelhos
onde o teu rosto se esconde no meu rosto
e a minha boca lembra a tua despedida,
talvez que, hoje, meu amor, eu pudesse esquecer
essa cor perdida nos teus olhos."
( Caderno de exorcismos )

13 de abr de 2009

(Al Berto)

"...escrevo-te a sentir tudo isto.
...repara
nada mais possuo
a não ser este recado
que hoje segue manchado de finos bagos de romã
repara
como o coração de papel amareleceu
no esquecimento de te amar."

Um Amor

Fotógrafo:Carlos Silva


(Nuno Júdice)

"Aproximei-me de ti; e tu, pegando-me na mão,

puxaste-me para os teus olhos
transparentes como o fundo do mar para os afogados. Depois, na rua,
ainda apanhámos o crepúsculo.
As luzes acendiam-se nos autocarros; um ar diferente
inundava a cidade.
Sentei-me nos degraus do cais, em silêncio.
Lembro-me do som dos teus passos,
uma respiração apressada, ou um princípio de lágrimas,
e a tua figura luminosa atravessando a praça
até desaparecer. Ainda ali fiquei algum tempo, isto é,
o tempo suficiente para me aperceber de que, sem estares ali,
continuavas ao meu lado. E ainda hoje me acompanha
essa doente sensação que
me deixaste como amada
recordação. "

2 de abr de 2009

Dança Lenta



(Lya Luft)

Não somos nem bons nem maus:
somos tristes.Plantados entre chão
e estrelas,lutamos com sangue,
pedras e paus,sonho
e arte.


Nem vida nem morte:
somos lúcida vertigem,
glória e danação.Somos gente:
dura tarefa.
Com sorte,aqui e ali a ternura
faz parte.