29 de jun de 2008

Recanto



No recanto da minha
vida
Onde florescem os sons
do amor
Flui o calor da minha
alma
E lateja o coração
embevecido
Pelo simples olhar
teu.

Pati K

Amor


Um presente lindo da pessoa mais especial da minha vida. Poesia a quatro mãos.
***************************************************************

Te quero Te busco Te procuro
*Estou onde teus olhos
Te desejo Te tolero Te venero
*Não conseguem ver
Te quero Te quero Te quero.
*Mas teu coração
Meu olhar a suspirar
*Logo me achará
Meu corpo a te ansiar
*Pelo amor que posso te dar.
Minha fome a te buscar
* Me encontrarás em tuas entranhas
Meu beijo te calar
*Com lábios a te beijar
Meu calor te provocar
*Dois corpos a acalentar
Teu sabor me saciar
*Sonhos prá sonhar.
Teu beijo me calar.
Meu amor a te amar.
* Meu coração a despertar
*Por teu amor me provocar...
*Jamais deixarei de te amar
Pati K

28 de jun de 2008

Corpo Adentro

(Marina Colasanti)

Teu corpo é canoa em que desço
vida abaixo morte acima
procurando o naufrágio
me entregando à deriva.
Teu corpo é casulo de infinitas sedas
onde fio me afio e enfio
invasor recebido com licores.
Teu corpo é pele exata
para o meu pena de garça
brilho de romã
aurora boreal do longo inverno.

Horas Rubras

(Florbela Espanca)

Horas profundas, lentas e caladas
Feitas de beijos sensuais e ardentes,
De noites de volúpia, noites quentes
Onde há risos de virgens desmaiadas…

Ouço as olaias rindo desgrenhadas…
Tombam astros em fogo, astros dementes
.E do luar os beijos languescentes
São pedaços de prata pelas estradas…

Os meus lábios são brancos como lagos…
Os meus braços são leves como afagos,
Vestiu-os o luar de sedas puras…

Sou chama e neve branca misteriosa…
E sou talvez, na noite voluptuosa,
Ó meu Poeta, o beijo que procuras!

Amor

Fotógrafo:Yuri B
**********************************************
Amor
Te quero Te busco Te procuro
Te desejo Te tolero Te venero
Te quero Te quero Te quero.
Meu olhar a suspirar
Meu corpo a te ansiar
Minha fome a te buscar
Meu beijo te calar
Meu calor te provocar
Teu sabor me saciar
Teu beijo me calar.
Meu amor a te amar.
Pati K

13 de jun de 2008

Lindo o texto abaixo,amei demais .... gostaria de saber o autor, procurei,mas não achei.

Decifra-me


Não venha me falar de razão,
Não me cobre lógica,
Não me peça coerência,
Eu sou pura emoção.
Tenho razões e motivações próprias,
Sou movido por paixão,
Essa é minha religião e minha ciência.
Não meça meus sentimentos,
Nem tente compará-los a nada,
Deles sei eu,
Eu e meus fantasmas,
Eu e meus medos,
Eu e minha alma.
Sua incerteza me fere,
Mas não me mata.
Suas dúvidas me açoitam,
Mas não deixam cicatrizes.
Não me fale de nuvens,
Eu sou Sol e Lua,
Não conte as poças,
Eu sou mar,
Profundo, intenso, passional.
Não exija prazos e datas,
Eu sou eterno e atemporal.
Não imponha condições,
Eu sou absolutamente incondicional.
Não espere explicações,
Não as tenho, apenas aconteço,
Sem hora, local ou ordem.
Vivo em cada molécula,
Sou o todo e sou uno,
Você não me vê,
Mas me sente.
Estou tanto na sua solidão,
Quanto no meu sorriso.
Vive-se por mim,
Morre-se por mim,
Sobrevive-se sem mim.
Eu sou começo e fim,
E todo o meio.
Sou seu objetivo,
Sua razão que a razão
Ignora e desconhece.
Tenho milhões de definições,
Todas certas,
Todas imperfeitas,
Todas lógicas apenas
Em motivações pessoais,
Todas corretas,
Todas erradas.
Sou tudo,
Sem mim,
tudo é nada.
Sou amanhecer,
Sou Fênix,
Renasço das cinzas,
Sei quando tenho que morrer,
Sei que sempre irei renascer.
Sei quando tenho que morrer,
Sei que sempre irei renascer.
Mudo o protagonista,
Nunca a história.
Mudo de cenário,
Mas não de roteiro.
Sou música,
Ecôo, reverbero, sacudo.
Sou fogo,
Queimo, destruo, incinero.
Sou água,
Afogo, inundo, invado.
Sou tempo,
Sem medidas, sem marcações.
Sou clima,
Proporcional a minha fase.
Sou vento,
Arrasto, balanço, carrego.
Sou furacão,
Destruo, devasto, arraso.
Mas sou tijolo,
Construo, recomeço...
Sou cada estação,
No seu apogeu e glória.
Sou seu problema
E sua solução.
Sou seu veneno
E seu antídoto
Sou sua memória
E seu esquecimento.
Eu sou seu reino, seu altar
E seu trono.
Sou sua prisão,
Sou seu abandono e
Sou sua liberdade.
Sua luz,
Sua escuridão
E seu desejo de ambas,
Velo seu sono...
Poderia continuar me descrevendo
Mas já te dei uma idéia do que sou.
Muito prazer, tenho vários nomes,
Mas aqui, na sua terra,
Chamam-me de AMOR.

Autor Desconhecido

8 de jun de 2008




"Se você tem qualquer mágoa remanescendo da véspera,
comece o dia à maneira do sol:
_esquecendo a sombra e brilhando de novo."

André Luiz

Os versos que te fiz





(Florbela Espanca)
Deixa dizer-te os lindos versos raros

Que a minha boca tem pra te dizer!

São talhados em mármore de Paros

Cinzelados por mim pra te oferecer.

Têm dolência de veludos caros,

São como sedas pálidas a arder…

Deixa dizer-te os lindos versos raros

Que foram feitos pra te endoidecer!

Mas, meu Amor, eu não tos digo ainda…

Que a boca da mulher é sempre linda

Se dentro guarda um verso que não diz!

Amo-te tanto! E nunca te beijei…

E nesse beijo, Amor, que eu te não dei

Guardo os versos mais lindos que te fiz!