5 de jan de 2009

Entre os teus lábios

Tela de Van Gogh
(Eugênio de Andrade)

"Entre os teus lábios
é que a loucura acode,
desce à garganta,
invade a água.
No teu peito
é que o pólen do fogo
se junta à nascente,
alastra na sombra.
Nos teus flancos
é que a fonte começa
a ser rio de abelhas,
rumor de tigre.
Da cintura aos joelhos
é que a areia queima,
o sol é secreto,
cego o silêncio.
Deita-te comigo.
Ilumina meus vidros.
Entre lábios e lábios
toda a música é minha.

5 comentários:

Rosani Nauar disse...

Olá! Pati

Que linda poesia,amor tem essa magia.

Beijos,

Obs:- Meu link do meu cantinho mudou - http://nauar40.blogspot.com/

Uma aprendiz disse...

Oi, Pati

saudades do seu cantinho.
Amei essa poesia. Parabéns pela escolha.

Quando puder visite meu outro lugar
http://reflexaoefe.blogspot.com

beijos

Deusa Odoyá disse...

Olá minha amiga Pati.
Que linda e inspirada poesia.
Prabéns!
Estou retornando aos poucos, por recomendações médicas.
Te desejo um ano de plkenas realizações.
que esse ano possamos estar juntas de novo.
Que Deus continue a iluminar seus caminhos.
Sua amiga.
Regina
fique na paz.

Regina Coeli.

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Pati, belo poema...Espectacular...
Beijos

intelligence disse...

chouman
cuoman
shuaiman
neiwomen
kelp2486