3 de nov de 2008

Escolha

Fotógrafa:Mariah



(Lya Luft)

Apesar do medo
escolho a ousadia.
Ao conforto das algemas,
prefiro a dura liberdade.
Vôo com meu par de asas tortas,
sem o tédio da comprovação.

Opto pela loucura, com um grão
de realidade:
meu ímpeto explode o ponto,
arqueia a linha, traça contornos
para os romper.

Desculpem, mas devo dizer:
eu quero o delírio.

7 comentários:

ROSANI disse...

Olá! Paty

Como é gostoso vim aqui no seu cantinho, ainda mais ler esse texto de Lya Luft, eu também prefiro escolhe a ousadia e dura liberdade, senão vida não tem sentido.

beijos no seu coração

Cris disse...

Oi, Pati...Adoro esse seu espaço e ler essa fusão de Lya Luft com sua energia, suas cores, suas fotos é meio que sentar num banco num final de tarde e olhar pro céu. Parabéns pelo bom gosto e pelo equilibrio desse seu canto. Um beijo grande.

Lucia disse...

Pati:

Também prefiro o delirio. Antes delirar do que morrer presa nas teias da mesmice.
Beijos, querida amiga

Deusa Odoyá disse...

Olá minha amiga paty.
que lindo e suave esse poema.
Eu prefiro essa liberdade.
Beijos amiga.
Uma semana abençoada por deus.
Regina Coeli.

Etelvina disse...

Oiii, Paty


E viva o delírio. Sempre!!!!


beijos e boa semana

Hermínia Nadais disse...

Ói!!! Seu blog está muito bonito... meu é mais simplinho... coitadinho. Obrigada pela visita- Voltarei!
Bjo

maicher disse...

You these things, I have read twice, for me, this is a relatively rare phenomenon!
handmade jewelry