25 de set de 2008

Nua



Fotógrafa:Mariah


Sou objeto.
Estou vazia de sentidos, nua e sem coragem. Queria poder pegar de volta o coração que me roubaste e jogar ao longe, lá no céu infinito, onde ele mergulhasse na claridade protegida dos anjos e nunca mais fosse roubado. Meu corpo quer gritar tua ausência urgente de saudade, meu olhar vago corta o vazio te buscando nos cantos familiares da casa inerte, sem acreditar que foste prá não mais voltar. Eu percorri todos os caminhos clamando tua presença e chorei ao saber-te resoluto e distante. Quero puxar o universo que nos separa , fazendo dele a ponte para unir dois mundos distintos, quero teu querer que me faz inteira e viva de novo. Quero sentir o conforto de saber-me tua e só sinto o medo de saber-me nada. Procurei-te em frases já ditas, em explicações repetidas, em desculpas sussurradas, procurei-te nos meus sonhos perdidos e depois revividos, procurei-te em versos declamados e só vi o feio esgar da agonia. A dor que me atinge em ondas carrega o que resta em mim de sanidade. Esvaída,sofrida e semi-morta, esmagada pela tua renúncia .

Quando abrires os olhos,eu não estarei aqui.
Ou estarei...
Pati K



5 comentários:

Ana disse...

Oi, Pati!!
Obrigada pela visita lá no meu cais.
Adorei suas pérolas e flores!
Beijo!

Cris disse...

Mulher do Céu!! Essa sua prosa é a uma pérola linda, colhida entre suas flores. Não me surpreendi porque já tinha visto que você escreve com o coração (como eu...rs) mas confesso que adorei essa mudança e senti uma pontinha de orgulho, caso eu tenha tido mesmo alguma influência, por menor que tenha sido. Você é muito querida! Beijos...

Etelvina disse...

Já estava com saudades de vir aqui.

Foi bom.

Me deliciei com seu texto. Somos emocionais ao extremo.
Isso é maravilhoso.

Hoje, por coincidência ou não, postei dois textos no blog que falam de fim de relacionamento.
Quando chego aqui, vc me traduz.

Adorei.


beijos Frô

O Sibarita disse...

Oi Pati! Seu texto é o grito de quem amou e se entregou perdidamente...

Mas, olhe a vida segue em frente... Lhe entendo perfeitamente e tem que colocar para fora mesmo tudo que sente, porém, somos apenas donos de nós mesmos...

A felicidade também é encontrada em outros horizontes, em outros olhares, não podemos, nos ater à alguém que não nos complete ou não queira nos completar.

Belo texto!

Pati, toque seu barco prá lapinha como dizemos por aqui. Você não esta semi-morta não! Você está VIVINHA da silva, faça fé!

bjs
O Sibarita

Deusa Odoyá disse...

Oi, minha estimada amiga PATI.
A saudade, solidão, são duas presenças que caminham juntas.
Nos deixam sempre sem nossos pés ao chão.
Mas amiga,vença a solidão,esqueças a saudade e deixe uma nova luz, entrar em seu coração.
Deixe a luz da felicidade entrar em sua alma.
Sentirás mais leve e retornarás a acreditar em um novo amor.
Beijos amiga, sei o quanto doi uma separação.

Beijos da amiga, recheado de muito carinho e luz.

Obrigado por sua visita ao meu cantinho.


Regina Coeli.