10 de fev de 2008

Monte Damavan,o mais alto do Irã

Trecho do livro Prisioneira em Teerã


...Mãos ríspidas me levantaram do chão e me forçaram a ficar novamente sobre meus pés.

Onde eles estão me levando?


"Ande direito ou eu atiro em você aqui mesmo!",vociferou Hamehd.

Continuei com muita dificuldade.Finalmente nos disseram para parar e alguém tirou minha venda.Uma luz intensa brilhou no meu rosto,cegando-me e me atingindo como uma flecha de dor que explodiu na minha cabeça.Depois de alguns segundos,olhei ao redor.A luz de um holofote cortava a noite como um rio branco e cintilante.Misturando-se com as sombras fantasmagóricas,colinas negras nos cercavam.Parecíamos estar no meio do nada;não havia prédios ou casas por perto.O céu noturno estava manchado de nuvens e alguns flocos de neve flutuavam levemente no ar,tentando prolongar seu vôo cristalino antes de enfrentar uma morte na terra.Havia mais quatro prisioneiros comigo:duas garotas e dois rapazes.Quatro guardas revolucionários apontavam suas armas contra nós,os rostos sem expressão,como se tivessem sido esculpidos na escuridão."Vão para perto das estacas!",gritou Hamehd,sua voz ecoando contra as colinas.A uns seiscentos metros de distância,algumas estacas de madeira,mais ou menos da minha altura saíam do chão.Estávamos prestes a ser executados.A sensação de frio dentro de meu peito me paralisou.

Este é o momento de minha morte.Ninguém merece morrer assim.

.......




Nenhum comentário: