11 de mar de 2008

Sem Alma



Encerrei
dentro do coração
o meu sonho dourado,
despedaçado.
E à luz crua
me vi nua,
sem calma,
sem alma,
buscando somente,
o brilho da lua,
na sala escura.

Recanto demente,
de vida carente.
Pati K

Um comentário:

Rosani Nauar disse...

Olá! Pati

Que lindo poema, desnuda alma com toda sensibilidade.

Adoreiiiiiiiii


beijoccas