13 de fev de 2008


"Quando São Paulo diz: "Morremos a cada dia", não era esta expressão patética.

A verdade é que morremos a cada dia. Estamos permanentemente nascendo e morrendo. Por isso o problema do tempo não afeta mais que os outros problemas metafísicos, porque os outros são abstratos. O do tempo é o nosso problema. Quem sou eu? Talvez saibamos algum dia. Talvez não. Nesse meio tempo, entretanto, como diz Santo Agostinho: Minha alma arde porque quero saber."

Jorge Luís Borges

Nenhum comentário: