1 de nov de 2007

Intenso Brilho


Adélia Prado


É impossível no mundo

estarmos juntos

ainda que do meu lado adormecesses.

O véu que protege a vida

nos separa.

O véu que protege a vida

nos protege.

Aproveita,

pois,

que é tudo branco agora,

à boca do precipício,

neste vórtice

e fala

nesta clareira aberta pela insônia

quero ouvir tua alma

a que mora na garganta

como em túmulos

esperando a hora da ressurreição,

falar meu nome

antes que eu retorne

ao dia pleno,

à semi-escuridão.




Nenhum comentário: